Clavius
Clavius

Quadrante 16

http://www.astrobin.com/full/185636/0/

Uma infinidade de craterlet's
Clavius é a terceira maior cratera no lado visível da Lua e também uma das mais antigas crateras lunares. Clavius mede cerca de 225 km (140 milhas) de diâmetro e foi formada por um asteroide cujo impacto ocorreu cerca de 4 bilhões de anos atrás. Embora seja bem preservada, Clavius mostra a sua idade por muitas crateras menores dentro dela formadas por impactos que aconteceram mais tarde.
Clavius é grande o suficiente para ser visto a olho nu e se por acaso você estivesse no seu piso próximo ao centro veria apenas uma planície pois as suas paredes ficariam abaixo do horizonte devido a curvatura da Lua.
Há poucos observadores lunares que não têm dedicado maior ou menor atenção a esta bela formação, um dos mais marcantes objetos para ser visto ao telescópio. No entanto apesar de familiarizados com as suas características, há sempre algo novo para observar e admirar conforme vamos examinando os detalhes aparentemente inesgotáveis devido aos diferentes ângulos de iluminação solar.
Quase três décadas atrás, a cratera Clavius explodiu na consciência pública como o local de uma colônia lunar no filme 2001: Uma Odisséia no Espaço. Para os astrônomos, destaca-se em um amontoado de outras crateras em uma área da Lua conhecido como o "Southern Highlands".
O chão da cratera é ligeiramente mais elevado no centro do que nas extremidades. Assim, se você pegar a Lua na fase certa com o Sol iluminando Clavius de forma bem rasante, você vai ver o chão iluminado com um anel de sombra na base das paredes leste e oeste. Este efeito é acentuado pela alta latitude de Clavius perto do limbo sul. É especialmente notável com Clavius no terminador quando a Lua está entre 8 e 9 dias de idade.
Sobrepondo-se a Clavius existe uma série de crateras menores. As maiores são Porter e Rutherfurd nas paredes Nordeste e Sudeste, respectivamente; cada uma tem cerca de 50 Km de diâmetro. Um arco de crateras progressivamente menores encontra-se no piso de Clavius. A maior é Clavius D com 29 Km; as outras têm diâmetros de 21 Km (Clavius C) 13 Km (Clavius N) e 12 Km (Clavius J). Esta cadeia de crateras podem ser visíveis mesmo em binóculos.
Na foto anexa eu destaquei (seta amarela) uma das menores crateras que podem ser vistas (cerca de 600 m de diâmetro) e usando o Quick Map fiz uma projeção 3D bastante ampliada no canto embaixo a direita.
Espero que da próxima vez que você observar a Lua, se as condições de iluminação estiverem favoráveis não esqueça de fazer este exercício de procurar observar crateras cada vez menores no piso da base lunar e se por acaso observar um monólito negro como aquele encontrado em Tycho não esqueça de me avisar!

Fontes:
Lake County Astronomical Society - Jack Kramer
Encyclopedia of Science
the-moon.wikispaces.com/Clavius
Quick Map - LROC/NASA

Pesquisa, adaptação e texto: Avani Soares

topo