Considerações sobre fotografia Lunar
Considerações sobre fotografia Lunar

Desta vez ao invés de falar da formação em si vamos falar de como foi feita a foto para obter estes detalhes sutis que aqui aparecem. O telescópio usado foi um Celestron Schimitd Cassegrain linha Edge, vulgarmente conhecido como C14 HD. A montagem utilizada foi a CGE PRO da mesma empresa. A câmera usada foi a novíssima ASI 224 colorida acoplada com um filtro Baader IR Pass 685 nm. Para obter maior aumento foi usada uma powermate 2X elevando o sistema a f/22.

Considerações gerais

Para fotografia lunar bem como planetária de alta resolução um bom telescópio independente do desing é essencial, não podemos negar que quanto maior a abertura maior será a capacidade de resolução. A distância focal também é um fator fundamental e normalmente o ideal é trabalhar entre f/20 e f/35 sendo que para cada telescópio usado é importante definir a melhor d/f em relação a câmera utilizada pois isto está diretamente relacionado ao tamanho do pixel. Em fotografia de alta resolução normalmente se trabalha com oversampling, utilizando grandes aumentos. Não precisa ser dito que a colimação é importante bem como um seeing razoável, porém com as câmeras atuais tipo ASI 224 que permite obter altas velocidades, utilizando filtros IR Pass é possível driblar boa parte do mau seeing e obter imagens de alta qualidade. Esta imagem de Langrenus por exemplo foi obtida numa noite de seeing mediano, calculo algo em torno de 3/5, porém usei velocidades de até 130 fps em quadros de 1280 X 960 e um filtro IR Pass 685nm que favorece a passagens das ondas longas (infravermelhas do espectro), ondas estas, muito menos sujeitas a turbulência do que as ondas do espectro visual (RGB). Isto permite captar aqueles breves momentos de boa estabilidade atmosférica (lucky frames) que irão ser separados dos maus frames durante o processamento para formar a imagem final.

Câmeras

Telescópios bons existem a muito tempo, o grande avanço da fotografia de alta resolução só foi possível com o aparecimento da geração atual de câmeras que permitiu obter altas velocidades aliada a uma grande sensibilidade. Antes da ASI 224 usei por muito tempo uma QHY 5L e muitas  boas fotos foram feitas com ela, basta visitar minha página no AstroBin para confirmar (http://www.astrobin.com/users/astroavani/). Apesar de ainda não ter testado suficientemente a ASI 224 e nem ter tido a chance de poder operá-la em boas condições de seeing como tive com a QHY 5L já percebi que a sensibilidade maior na região do IR bem como a velocidade que ela atinge vão permitir obter um número muito maior de quadros para empilhar o que está diretamente ligado a uma redução drástica no ruído final da imagem. Antes com a QHY 5L (30 fps) eu fazia capturas de 3000 frames e obtinha algo em torno de 200 a 500 frames para empilhar, nesta foto com a ASI 224 (60 fps) dos 3000 frames captados eu pude usar 821 para empilhar o que é uma diferença significativa e vai implicar num ruído muito menor depois de empilhado no AS!2. Filtros Filtros são fundamentais em fotografia de alta resolução e devem ser usados conforme o objetivo que se quer alcançar, na fotografia lunar em particular, filtros IR permitem um ganho notável e até possibilitam fazer fotos aproveitáveis naquelas noites em que sem eles seria completamente impossível. O filtro que mais utilizo é o 685nm, mas existem outros mais abertos ou mais fechados e até  um Long Pass de 610 nm pode ajudar muito quando o seeing está um pouco melhor. Barlows e powermates Em fotografia de alta resolução são essenciais e não é qualquer marca que é adequada. Desculpe-me os céticos mas se você quer realmente obter uma foto de alta definição, qualidade é um fator fundamental, prefira sempre que possível as powermates pois elas estão um passo acima das barlows, porém se isto não for possível deve optar por barlows de qualidade reconhecida. Elas são muito importantes pois só com elas se pode atingir as razões focais adequadas para as fotos que pretendemos. Cuidado com estas razões, pois as barlows normalmente não elevam a distância focal justamente naquilo que se espera delas, a distância relativa que o sensor se encontra da última lente pode fazer muita diferença, vide o quadro abaixo: 

Barlows e Powermate Tele Vue 

Como podemos ver, a distância do sensor e o tipo de barlow, pode alterar grandemente a distância focal final do sistema. Programas de astrofotografia Abaixo listarei em ordem os programas que uso para fazer as minhas lunares bem como algumas considerações gerais sobre sua finalidade.

  1. Fire Capture: inegavelmente é um dos melhores programas free para captura lunar e planetária, fácil de baixar (http://www.firecapture.de/). Este programa parece meio complicado mas depois que se acostuma não se consegue usar outro, no próprio link onde se baixa existe tutoriais de orientação, tem muitos recursos que facilitam bastante a obtenção de boas fotografias e para aqueles que irão começar a usá-lo um dos principais pontos é o controle do hystogran para se obter fotos de tonalidade uniforme e fáceis de pós-processar. Devemos procurar não exagerar no Gain para não tornar a foto muito ruidosa e todo o sucesso de uma boa captura esta diretamente relacionada com o bom equilíbrio entre o Gain, Gama e Exposure. Não existem valores fixos pois tudo depende do telescópio e da abertura usadas. Não é preciso dizer que o foco correto é fundamental para uma foto de alta resolução e a imagem deve estar o mais perfeitamente focada na tela de captura.
  2. 2. AS!2: antigamente eu usava o Registax 6 para fazer seleção dos melhores frames e seu empilhamento, porém o AS!2 (http://www.autostakkert.com/) faz isto de maneira bem melhor pois é um programa específico apenas para esta fase do processamento. O AS!2 permite obter na saída dois arquivos TIF (fotos), sendo um deles já pré processado e que eu uso para fazer a foto final, desde que comecei a usar o AS!2 nunca mais precisei do Registax e poupo assim uma etapa demorada no pós-processamento. Um breve tutorial do AS!2 pode ser visto aqui: http://astroavani.no.comunidades.net/tutorial-as2
  3. 3. Photofiltre: é um programa de edição (http://www.baixaki.com.br/download/photofiltre.htm) , uso apenas para ajustar o brilho e contraste podendo ser usado também os filtros sharpen e soften caso haja necessidade de dar uma alisada ou puxada nos detalhes. Se alguém tiver interesse num tutorial simples para testá-lo pode encontrar aqui: http://astroavani.no.comunidades.net/usando-ophotofiltre-tutorial
  4. 4. Fitswork: é um excelente programa de deconvolução, com ele podemos afinar a imagem e puxar inúmeros detalhes, pode ser baixado aqui: http://www.fitswork.de/software/softw_po.php Aconselho ler os tutoriais e fazer bastante testes com ele pois na verdade é o programa que faz toda a diferença na finalização da foto trazendo a superfície inúmeros detalhes e aumentando sobremaneira a resolução final.
    Considerações finais Claro que lendo não parece complicado, mas na verdade a obtenção de boas fotografias exige um bom equipamento, muito treinamento e prática para se perceber as sutilezas de todas as etapas e obter aquela foto que realmente faz a diferença. Paciência, perseverança, vontade de aprender sempre mais errando muito, além de humildade para aceitar elogios e principalmente críticas é que podem fazer de todos nós um grande astrofotógrafo.
    Foto e Texto: Avani Soares

 

topo