Grimaldi e Riccioli
Grimaldi e Riccioli

http://www.astrobin.com/full/196006/0/

Giovanni Baptista Riccioli foi um cientista jesuíta do século 17, ele criou o sistema de nomes que ainda são utilizados na Lua. Sua nomenclatura foi exibida em um mapa construído por seu ex-aluno Francesco Maria Grimaldi. 
Para comemorar seu trabalho árduo, Riccioli nomeou uma cratera para cada um deles, e modestamente deu a maior para seu aluno. A cratera Riccioli (diâmetro 145 km) é estriada com material ejetado a partir da formação da bacia de impacto Orientale a sudoeste. A falta de material ejetado no chão de Grimaldi (230 km) demonstra que os fluxos de lava que a cobriram a partir de derrames originados em Riccioli e formaram os diversos depósitos pyroclasticos visíveis nestas duas crateras entraram em erupção mais recentemente do que 3,8 bilhões anos atrás em que foi formada a bacia Orientale. A contagem de crateras sugere que o vazamento de lava em Riccioli é de cerca de 3,48 bilhões de anos, e Grimaldi tem idades de 3,25 e 2,50 bilhões de anos. Esta última idade de atividade vulcânica em Grimaldi é notavelmente jovem. 
Poren, mais interessante para os observadores amadores são os detalhes vistos no chão de Grimaldi. A grande cúpula sobre a porção norte do piso ( circulo vermelho) é bem conhecida, e a minha imagem também mostra alguns morros menores e mais íngremes ao norte da grande cúpula (circulo amarelo). Como eles aparecem com o sol em angulo mais alto, estas colinas são mais propensas a ser peças remanescentes do material ejetado do Orientale que não foram abrangidos pelas lavas posteriores. Mas a maior destas colinas (circulo laranja) é mais complexa - na imagem do Lunar Orbiter ela parece uma cúpula íngreme com pequenas colinas no seu norte e bordas sul. Na ponta sudoeste do piso há uma sombra (seta amarela) que implica uma inclinação relativamente íngreme onde a lava do mar fluiu sobre o chão da cratera. Lavas lunares tinham uma consistência muito fluida, por isso é sempre comum encontrar uma encosta íngreme.
O piso de Riccioli apresenta fraturas tectônicas íngremes que podem ser vistas na foto e por onde os fluxos de lava vulcânicos escorreram em direção a Grimaldi.
Fonte: LPOD- Charles Wood
LROC/NASA
Adaptação e texto: Avani Soares

topo