Montes Apenninus
Montes Apenninus

 

Uma visão mágica do norte dos Apenninus!
São tantas formações notáveis nessa foto que não sei nem sobre o que falar.
Rima Hadley sempre é um show a parte assim como a intrincada rede de Rimae Fresnel. Santos Dumont sempre se destaca quando a Lua está nessa fase mas o que chamou minha atenção foi o elevado número de crateras dentro de Archimedes já que elas são de relativamente difícil visualização, assim como as craterelets no piso de Platão.
Não podemos esquecer também que ali ao norte de Mons Hadley Delta situa-se a base da Apollo 15 a qual já detalhei a missão no seguinte post:http://www.astrobin.com/187791/0/
Arquimedes, 50 milhas ou 82 quilómetros de diâmetro, é uma das crateras mais pitorescas na Lua. Ela consiste em um anel de montanhas com piso plano, e não tem o pico central típico das crateras desse tamanho porque o interior foi inundado com fluxos de lava.

Arquimedes é um bom exemplo para datar acontecimentos pela superposição. Encontra-se dentro da bacia de Imbrium, uma bacia de impacto enorme formada durante o bombardeio final da Lua cerca de 4 bilhões de anos atrás. Podemos ter certeza de que não há crateras que teriam sobrevivido ao impacto que formou Imbrium. Por outro lado, a cratera é inundada com a lava que encheu a Bacia Imbrium cerca de 3,1 bilhões de anos atrás. Portanto, a sua idade é entre 4,0 e 3,1 bilhões de anos.
Porque ambos, Arquimedes e a bacia Imbrium são inundados por basalto do mar, suas formações devem ter mais do que simples atividade vulcânica. . Só de estudar as relações entre os recursos, os cientistas podem juntar a sua história!
O terreno montanhoso ao sul da cratera é chamado de Montes Arquimedes, ou as Montanhas de Arquimedes. Como todas as montanhas lunares, é um maciço relativamente indefinido e baixo, e provavelmente representa uma parte exposta do piso Imbrium Bacia que não foi enterrado por lava.
Fonte: LRO/NASA - Museu Holandês de Ciências Aplicadas
Adaptação e texto: Avani Soares
http://www.astrobin.com/full/252920/0/

topo