Tutorial AS!2
Tutorial AS!2

TUTORIAL AS!2

INTRODUÇÃO

            Devido a pedido de alguns colegas que gostaram dos resultados obtidos pela equipe AVACON (Avani + Conrado) utilizando este programa, decidi fazer este tutorial para ajudar aqueles que ainda não sabem usá-lo ou estão com alguma dúvida.

            Quero deixar claro que minha experiência com ele ainda é limitada, pois assim como o Registax este programa tem muita coisa para aprender.  Mesmo assim creio que o presente trabalho pode ser de alguma utilidade para os colegas que com ele desejem fazer experiências.

LINK PARA BAIXAR

http://www.astrokraai.nl/wp/download/

Eu uso a versão 2.1.0.5

USANDO O AS!2

Depois de baixado o programa ao clicar no ícone para abrir o programa esta será a janela inicial. Notar que na realidade são duas janelas que abrem conjuntamente. A  esquerda é a janela geral que contem os comandos globais mais importantes e a da direita é a janela mais específica que define algumas configurações que serão usadas para cada filme. Daqui para frente chamaremos a janela da esquerda de Janela “A” e a da direita de janela “B”. (figura 1)

 

 

PRINCIPAIS PASSOS PARA USAR O AS!2

1.Na  janela “A” clicar no nº 1 onde diz OPEN. Vai abrir outra janela para você escolher o filme que quer alinhar e empilhar. Escolha o filme e clique em abrir.  O filme irá aparecer na janela “B” (figura 2)

 

 

Obs: Existem filmes que não abrem no AS!2, depende do formato de gravação, em princípio o AS!2 trabalha com filmes AVIS e filmagens feitas em Y800. Minha câmera Fuji apesar de gravar em AVI,  não abre os filmes no AS!2, já os filmes feitos com a SPC, DBK e DMK tem aberto normalmente.

2.Configurações básicas da janela “A”.

2.1. Onde diz “Image Stabilization” selecionar “Planet COG” e “Dynamic Background”

2.2. Onde diz “Quality Estimator” selecionar “Gradient”  e “Noise Robust 3”

Obs: O número a ser usado no Noise Robust depende da qualidade inicial do filme, em princípio filmes de má qualidade devem usar Noise em nº 2, filmes médios podem usar 3 ou 4 e filmes realmentes bons usam 5 ou 6. Um nº bom que se porta bem em qualquer imagem na minha opinião é o 3.

2.3. Onde diz “Reference Frame” selecionar “Auto Size”

2.4. Onde diz “Stack Options” selecionar “TIF” assim não haverá perda de dados, selecionar “Normalize Stack”, selecionar “Sharpened Images”

Obs 1: A percentagem a ser usada em “Normalize Stack” depende da quantidade de luz obtida na filmagem, quanto mais luz tiver o objeto menor a percentagem a ser usada, se o objeto estiver muito escuro coloque em 100% pois assim a imagem empilhada terá mais luminosidade. Tem que testar para ver pois a quantidade de luz captada depende tanto dos parâmetros usadas na captação bem como da abertura do tele. Resumindo % menores deixam a imagem empilhada mais escura e % maiores  deixam mais clara.

Obs 2. A opção “Sharpened Images” ao ser selecionada faz com que no final do empilhamento o programa crie duas imagens diferentes. A imagem criada pelo Sharpened é uma imagem já mais processada e ela normalmente vem intitulada com a palavra “Conv”. O grau de processamento dela depende da % usada. Se for 100% fica igual a outra imagem criada que parece “mais lavada” se for 50% fica mais limpa, e se for 0% parece quase com a imagem final depois de usado os wavelets no Registax.

Obs 3. Nesta etapa você também pode selecionar “Save in Folders” e onde diz “Prefix” escolher um nome para a imagem final depois de empilhada.

2.5. Onde diz “Advanced Settings” selecione “HQ Refine” e eu uso “Drizle” em “Off” para manter o tamanho original do arquivo.

3. Chegou a hora de clicar no nº 2 “Analise”. Ao fazer isto o programa fará uma análise preliminar do filme e criará um gráfico demonstrando a qualidade geral dos frames deste filme. (figura 3)

 

4. Agora chegou a hora de trabalhar na janela “B” e é onde está o “pulo do gato”!

4.1. Em primeiro lugar você irá selecionar a % de frames que serão usadas para empilhar. Para fazer isto deve se mover o cursor “Frames” no alto da janela “B”. Você pode ir arrastando-o até obter 50% de qualidade na barra verde do gráfico da janela “A” ou controlar a qualidade na janela onde esta o próprio planeta no canto do alto a esquerda, ali mostra várias informações tais como: color RGB, frame %, quality % e brightness. Pois bem, é a quality % que se deve deixar em 50% quando se mover o cursor dos frames. Ao fazer isto note que vai aparecer também no “frames %” a percentagem de frames ou o nº de frames que serão empilhados. Esta informação é importante porque ela vai definir o que devemos colocar na janela “A” em “Stack Options” antes de se clicar em empilhar. Com esta informação você pode optar por empilhar pelo “Number of frames to stack” ou pelo “Or frame percentage”. Eu normalmente uso o 2º. (figura 4)

 

4.2. Agora devemos escolher a quantidade de pontos de alinhamento na aba que diz “Alignment Points” da janela “B”. Para isto existem duas opções, pode ser com um único ponto de alinhamento “Single” ou com múltiplos pontos “Multiple (MAP)”. Eu normalmente seleciono Multiple (MAP) pois isto favorece um alinhamento mais preciso. Desmarque a opção “Manual Draw” que aparecerá uma série de opções para pontos de alinhamento “AP SIZE”. Você pode escolher uma certa quantidade entre 25 e 200 AP Size podendo marcar uma das 4 opções que ali existem ou escolhendo um valor próprio. Eu neste caso escolhi 40 AP Size, cliquei em “Place APs Grid”, o que me resultou em 34 APS (pontos de alinhamento) que ficaram bem distribuídos pela imagem de Saturno. (figura 5)

 

Obs: Você deve escolher um AP Size que gere um nº de APs que se distribua igualmente por todo o planeta, preenchendo-o totalmente pelos quadrados azuis. Não pode ser demais nem de menos e depende do tamanho da imagem do planeta que você está processando. Pontos de menos o programa não vai alinhar bem a imagem, pontos demais demora muito para fazer o empilhamento.

5. Chegou a hora de clicar em “Stack” na janela “A”. Ao fazer isto o programa começa a rodar passando executar as seguintes etapas: Reference Image, Image Alignment, Image Stacking, MAP Analysis e MAP Recombination. Ao fim destas 5 etapas o programa irá criar duas imagens exatamente no arquivo de origem de onde você abriu o filme que foi processado. (figura 6)

 

Obs 1: Uma das imagens sera nomeada com a palavra “conv” além do código que você estabeleceu em “Save in Folders” “Prefix”, a outra terá apenas o código que você estabeleceu. Destas duas imagens a que diz “conv” é bem mais definida como já comentei acima e a outra parece “lavada”. Destas duas a melhor para processar com o Registax é a mais “lavada”, pois ela permite que se puxe mais nos wavelets sem que ocorra degradação. Com a “conv” deve-se ter muito cuidado ao usar o Registax pois qualquer toque a mais causa muita degradação. Eu uso sempre a mais lavada para processar no Registax. (figura 7)

 

Obs 2:  Não esquecer que a imagem final é em formato TIF, então ao abrir o Registax temos que selecionar esta opção. Quando a imagem é aberta no Registax ele roda direto até chegar a aba dos wavelets, pois estamos abrindo uma imagem única, como se fosse uma foto única. Por isto se você é como eu que gosta de trabalhar com o LRGB que existe na aba Align do Registax deve selecionar esta opção antes de abrir a imagem. 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

         O AS!2 é um programa que ainda está em desenvolvimento mas que desde já demonstra o enorme potencial do qual é capaz. Fiz diversos testes, empilhando diversos vídeos diferente, de planetas diferentes com ele e com o Registax. Em 100% dos casos quando o alinhamento e empilhamento foi feito como AS!2 e o processamento nos wavelets do Registax, o resultado foi sempre superior ao processamento feito usando apenas o Registax para todas as etapas.

            Por isto sou de opinião que aqueles que querem obter o melhor rendimento de suas fotos planetárias deve pensar seriamente em experimentar e testar este programa.

DEDICATÓRIA

“Dedicado aos colegas do Cosmofórum que assim como eu são ávidos por uma boa fotografia”.

“Dedicado aos meus grandes amigos Conrado Seródio e Ilídio Afonso, sem os quais eu ainda hoje seria um zero a esquerda em astrofotografia”

Avani Soares

topo