Vitello
Vitello

 Quadrate 12

 

http://www.astrobin.com/full/192230/0/

Vitello, uma estranha cratera na Lua.
Espalhadas pela "linha costeira" ao sul do Mare Humorum há várias crateras lunares incomuns. A mais notável é Gassendi, uma gigantesca cratera para o norte, na margem sul temos Doppelmayer, parecendo uma cópia da metade do tamanho de Gassendi. Ambas são crateras rasas com uma cordilheira central e uma rede de rilles e cristas em seus andares. Para o leste de Doppelmayer encontramos Vitello, parecendo uma versão em tamanho miniatura de Gassendi e pertecendo a uma família de cratera "clones".
Vitello é uma cratera lunar que fica ao longo da borda do sul do Mare Humorum , na parte sudoeste da Lua. Encontra-se a leste da cratera com muralha rompida Lee tendo a nordeste ao longo da borda do Mare Humorum Rupes Kelvin, uma linha de falha irregular.
Esta cratera tem uma borda baixa, aproximadamente circular, e uma borda afiada. O piso interior é irregular, acidentado e montanhoso, com um deslocamento para o leste do ponto médio menor, cratera concêntrica. 
Vitello uma vez foi acreditado para ser uma caldeira em vez de uma cratera de impacto.
O recurso mais atraente de Vitello é um rille brilhante circular que envolve a cadeia brilhante de picos centrais. O rille brilhante surge em uma pequena cratera perto da borda do norte, e após sinuoso caminho para o sul por 10 quilômetros faz uma curva perfeita em volta dos picos centrais.
Charles Wood diz-nos que estas crateras planas com piso em torno do Humorum são crateras de chão fraturado e sugere que essas crateras foram elevadas por lava quee rompeu a crosta e fluiu.
Com eventos ocasionais de falhas ou impactos de meteoritos, a lava poderia ter fluido de uma vez ou aos poucos durante um longo período de tempo. 
A origem das crateras de chão fraturado na Lua ainda está em discussão, mas são suspeitas intrusões vulcânicas, e algumas das fraturas são associadas com Dark Mantle Depósitos ( DMD ), que são susceptíveis de origem piroclástica. Em Vitello, não foram documentados claramente DMD. Mas desde que as fissuras circulares são bem desenvolvidas nesta cratera, piroclastos ou quaisquer materiais de baixa reflectância de origem vulcânica pode ter coberto a superfície do piso fraturado, fornecendo os materiais escuros fluiram para as rachaduras abertas.
Fonte: Sidney Observatory 
LROC/NASA
Project Gutenberg Consortia Center
Adaptação e texto: Avani Soares

topo